Falsos deficientes pediam benefícios em Nápoles, diz polícia

Esquema liderado por conselheiro municipal beneficiava moradores do centro histórico da cidade.

BBC Brasil, BBC

19 de janeiro de 2010 | 19h48

A polícia da cidade italiana de Nápoles desbaratou um grande esquema de fraude no qual centenas de pessoas de um bairro usavam certificados médicos falsos para pedir benefícios destinados a deficientes mentais ou visuais.

O conselheiro municipal Salvatore Alaio é acusado de chefiar o esquema. Muitos dos que pediam ilegalmente os benefícios eram ou amigos ou familiares do conselheiro.

Os investigadores estimam que os casos de pessoas se passando por deficientes visuais para conseguir os benefícios custaram ao Estado cerca de um milhão de euros em um período de três anos.

O escândalo veio à tona mês passado, quando 53 residentes do centro histórico da cidade foram presos por pedir benefícios por deficiência visual com atestado falso.

Investigações descobriram outros 400 casos de pessoas erroneamente beneficiadas por deficiências mentais, todas elas moradoras da mesma região.

A polícia descobriu que em apenas duas ruas da cidade, 55% dos moradores estavam envolvidos no esquema.

O governo afirma que o esquema não foi descoberto antes por conta da burocracia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.