Falta de água ameaça 2,7 bilhões de pessoas até 2025

Alertando que 2,7 bilhões de pessoas podem enfrentar uma crítica falta de água potável até 2025, as Nações Unidas celebraram o Dia Internacional da Água, nesta sexta-feira, com um chamado para a "revolução azul" - iniciativas visando conservar e preservar os mares, para buscar novas fontes de fornecimento.Em menos de 25 anos, cerca de 5 bilhões de pessoas estarão morando em áreas onde será difícil ou impossível atender à demanda de água fresca, estabelecendo-se "uma crise que deve atingir quase dois terços da população da terra", afirmou um relatório da ONU.O documento foi divulgado em Viena pela Agência Internacional de Energia Atômica, uma organização de controle da energia nuclear que lidera os esforços das Nações Unidas para chamar a atenção para a carência de água no mundo e a necessidade de se economizar água, sempre que for possível."O fato é que há uma quantidade limitada de água no planeta, e não podemos nos permitir ser negligentes quanto ao seu uso", afirmou o diretor da agência, Mohamed ElBaradei. "Não podemos continuar a tratar a água como se ela nunca fosse acabar."Cerca de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável segura; 2,5 bilhões não têm condições sanitárias adequadas, e mais de 5 milhões morrem por ano de enfermidades causadas pela água - dez vezes mais do que o número de mortes provocadas pelas guerras no mundo, informou o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.