Falta de combustível provoca longas filas no Egito

Longas filas se formaram nas proximidades de postos de gasolina no Cairo e em outras cidades do Egito nesta quinta-feira, enquanto motoristas esperavam por novas entregas de derivados de petróleo e temiam a elevação dos preços e escassez no longo prazo.

AE, Agência Estado

22 de março de 2012 | 12h44

Numa região rural do Egito, testemunhas disseram que ocorreram discussões e brigas de faca entre motoristas frustrados. Alguns chegaram até mesmo a fazer disparos para o alto.

Funcionários de postos de gasolina reclamam de receber apenas a metade da quantidade de combustível que costuma ser entregue. E para piorar, uma greve de uma semana afeta o setor de transporte público.

Profissionais da indústria dizem que a situação é causada pela elevação dos preços no mercado negro, ao qual muitos motoristas, sem alternativa, acabam por recorrer. As filas também levaram mais carros para as ruas do Cairo, conhecidas por seu tráfego intenso, provocando mais incidentes.

"Não temos combustível. Esperamos por cinco horas para encher o tanque e só dai podemos começar a trabalhar", disse o taxista Rashed Said. "Eu só encontrei gasolina neste posto", declarou Maged, outro motorista de táxi. "Tem sido assim deste ontem", declarou ele, apontando para as filas.

O setor de combustível está sob pressão há meses em razão da queda das reservas internacionais e por causa do aumento do déficit público, o que ameaça os subsídios concedidos. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitocombustívelescassez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.