Falta de eletricidade deixa zona rural na escuridão total

Cenário: Cláudia Trevisan

O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2012 | 03h04

A escuridão domina a zona rural da Coreia do Norte e isso não é uma metáfora sobre a natureza ditatorial do regime. A falta de energia elétrica faz com que as casas e ruas das vilas do campo não tenham luzes quando a noite cai.

Da janela do trem que levou jornalistas da base de lançamento de satélites Tongchang-ri a Pyongyang, no domingo, a visão era de escuridão absoluta, quebrada raramente por luzes esparsas.

Foi a visão microscópica do cenário que aparece ao vivo nas fotos noturnas de satélites, que mostram a Coreia do Norte como uma mancha escura, com exceção de Pyongyang. Mesmo a capital sofre com a escassez de energia e várias ruas não contam com iluminação.

Sem eletricidade, os camponeses não têm acesso a televisão, que apesar do estrito controle começa a mostrar um pouco do mundo fora do reino da família Kim, principalmente pela exibição de novelas e filmes chineses.

A maioria vive em uma total ignorância da realidade além das fronteiras do país e muitos acreditam na propaganda oficial que apresenta os sul-coreanos como pobres vítimas do imperialismo dos Estados Unidos à espera de serem libertados pelos irmãos do norte.

Além da falta de luz, a zona rural enfrenta a fome. O último inverno foi especialmente rigoroso e destruiu parte da produção agrícola. Em consequência, o World Food Program estima que 6 milhões dos 24 milhões de habitantes do país - um quarto da população - não terão acesso a quantidades suficientes de alimentos em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.