Reprodução
Reprodução

Falta de gasolina e energia atrasam recuperação após Sandy

Moradores brigam em postos de combustíveis; eletricidade pode ser restabelecida apenas no dia 11

BBC Brasil, BBC

02 de novembro de 2012 | 09h00

A falta de combustíveis e os problemas para retomar o fornecimento de energia elétrica estão prejudicando a operação de recuperação na região nordeste dos Estados Unidos, mais atingida pela passagem da tempestade Sandy.

Nesta sexta-feira os problemas com o sistema de transporte e falta de gasolina continuam e longas filas se formaram em muitos postos.

O dono de um posto de gasolina em Nova Jersey afirmou ao jornal The New York Times que está trabalhando há 36 horas e teve que chamar a polícia e desligar as bombas no momento em que os clientes começaram a brigar na fila.

Mais da metade dos postos de Nova York e Nova Jersey estão fechados e os preços do combustível aumentaram.

A tempestade Sandy chegou à costa leste dos Estados Unidos na noite de segunda-feira, causou mais de 90 mortes nos Estados Unidos e um prejuízo estimado de US$ 50 bilhões.

Apartamentos gelados

Autoridades do setor de energia elétrica esperam restabelecer o fornecimento para toda a ilha de Manhattan e áreas do Brooklyn até sábado. Mais linhas de metrô também devem ser reabertas.

As passagens de trens continuam grátis nesta sexta-feira e carros com menos de três passageiros continuam proibidos de circular em Manhattan.

Mas, a companhia de energia que serve Nova York, a Consolidated Edison, afirmou que, em algumas áreas da cidade, o fornecimento só deve ser restabelecido no dia 11 de novembro.

Quase 45% dos moradores de Nova Jersey e cerca de 15% dos moradores do Estado de Nova York estão sem eletricidade.

"Estou indo embora pois estou congelando. Meu apartamento está gelado. Todo mundo está cansado disso", disse à agência de notícias Associated Press a moradora do West Village, Rosemarie Zurlo, ao abandonar temporariamente o apartamento onde vive e ir para o Brooklyn.

Os moradores da região de Staten Island, em Nova York, afirmam que foram esquecidos pelas autoridades. Cerca de 19 pessoas morreram na região, que fica no sudoeste de Nova York.

Segundo James Molinaro, presidente da administração da região, afirmou que a Cruz Vermelha não foi até Staten Island.

"Temos centenas de pessoas em abrigos. Quando o abrigo fecha, muitas delas não têm para onde ir pois suas casas foram destruídas. Não são sem-teto. Estão sem-teto agora", afirmou.

"Eles nos esqueceram... E (o prefeito de Nova York, Michael) Bloomberg disse que Nova York está bem. A maratona vai ocorrer."

Bloomberg defendeu a decisão de manter a maratona neste domingo.

"Esta cidade é uma cidade onde temos que continuar", disse o prefeito.

Membros da Guarda Nacional e grupos comunitários estão sendo enviados para Nova York e Nova Jersey em meio ao crescente temor pela segurança dos moradores mais idosos, isolados em suas casas.

As águas da enchente causada pela tempestade estão recuando lentamente. Em Hoboken, Nova Jersey, cerca de 20 mil pessoas ainda estão presas dentro de casa. As autoridades pediram que ninguém caminhe pela água poluída com esgoto e produtos químicos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.