EFE
EFE

Falta de aparelhos e remédio mata seis bebês na Venezuela

Não havia remédios para dilatar os pulmões dos bebês, nem respiradores artificiais, diz representante do Conselho Tutelar de San Cristóbal

O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2016 | 19h12

CARACAS - Ao menos seis recém-nascidos morreram nos últimos quatro dias no Hospital Central de San Cristóbal por falta de medicamentos e aparelhos respiratórios. Segundo o Conselho Tutelar da cidade, eles morreram entre o sábado e a terça-feira. 

“Não havia remédios para dilatar os pulmões dos bebês, nem respiradores artificiais”, disse o diretor do órgão, Leonardo Maldonado, segundo o diário Tal Cual

Ainda de acordo com ele, 25 incubadoras do hospital não estão funcionando. “O hospital entrou em colapso e não há vagas para novos doentes”, acrescentou. 

No mês passado, a Assembleia Nacional Venezuelana decretou crise no sistema de saúde do país, afetado pela escassez de medicamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelachavismoO Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.