Faluja não tem água tratada, alerta a Cruz Vermelha

As estações de purificação de água de Faluja não estão funcionando desde os violentos ataques promovidos pelos Estados Unidos e que deixaram a cidade em ruínas no início de novembro, alertou um porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). As famílias que retornarem à cidade terão de recorrer a tanques móveis para obter água tratada, prosseguiu Ahmed Rawi, o porta-voz da entidade no Iraque.Representantes do CICV informaram que, na terça-feira, visitaram a cidade pela segunda vez para avaliar a situação humanitária. A primeira visita da Cruz Vermelha a Faluja, depois da ofensiva, ocorreu em 7 de dezembro. O diretor do serviço público de tratamento de água da cidade disse à equipe de seis iraquianos do CICV que nenhuma das quatro estações da cidade está operacional, explicou Rawi."A maioria delas foi bombardeada ou danificada por causa das operações militares", denunciou. "No futuro, quando as pessoas retornarem, elas serão servidas por tanques móveis montados em diversas partes da cidade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.