Channel 9 / AP
Channel 9 / AP

Família de autor do massacre na Nova Zelândia diz estar ‘destruída’

‘É muito difícil admitir que alguém da nossa família possa fazer algo assim’, diz a avó de Brenton Tarrant

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2019 | 16h28

SYDNEY, AUSTRÁLIA - A família do australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, responsável pelo massacre contra duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, no qual 50 pessoas morreram, disse estar “destruída” por seus atos, contou a avó do atirador a uma emissora australiana.

“Estamos todos estupefatos, não sabemos o que pensar”, afirmou a avó de Tarrant, Marie Fitzgerald, ao canal Channel 9. “É muito difícil admitir que alguém da nossa família possa fazer algo assim”, disse ela, que vive no Estado australiano de New South Wales. “Todo mundo está arrasado. Destruído é a palavra.”

Tarrant, que cresceu na pequena cidade de Grafton, parece ter sido cativado pela ideologia neofascista durante suas várias viagens à Europa.

“Foi a partir do momento que ele viajou ao exterior que acredito que o menino mudou completamente”, afirmou Marie. Tarrant começou a viajar após a morte de seu pai, há muitos anos, e ultimamente vivia na cidade neozelandesa de Dunedin.

Segundo sua avó, ele voltou à Austrália há um ano para o aniversário de sua irmã e não parecia ter mudado. “Era simplesmente o mesmo”, descreveu ela.

A irmã e a mãe de Tarrant foram colocadas sob proteção policial e não podem manter contato nem mesmo com membros da própria família. “A polícia cumprirá seu dever e as manterá protegidas, que é o que elas precisam”, disse Marie.

O tio de Tarrant, Terry Fitzgerald, contou que a família soube dos ataques pela televisão. “No começo eu disse ‘Não, isso não é possível’, mas depois vi a foto dele.” / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.