Família de brasileiros desaparecidos pode obter atestado de óbito

Passadas duas semanas do ataque terrorista ao World Trade Center, o Consulado-Geral do Brasil em Nova York não conseguiu localizar nove brasileiros que trabalhavam no centro empresarial ou, segundo informações de parentes e amigos, teriam algum tipo de relação com empresas localizadas ali ou nas proximidades. Essas pessoas não são ainda, oficialmente, consideradas mortas. Mas, por lei assinada nesta segunda-feira pelo governador do Estado de Nova York, George Pataki, as famílias poderão obter atestado de óbito para fins legais. Além das nove pessoas que são buscadas pelo consulado, há mais sete de uma lista enviada pelo Itamaraty que, segundo parentes, estariam na área do WTC quando ocorreu o ataque terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.