Família de dissidente chinês não deve ir à cerimônia do Nobel

Os parentes de Liu Xiaobo, o dissidente chinês laureado pelo Prêmio Nobel da Paz de 2010, provavelmente não viajarão da China para a Noruega a fim de receber o prêmio no mês que vem, disse o Comitê do Nobel norueguês ao site da emissora norueguesa NRK na quarta-feira.

REUTERS

17 de novembro de 2010 | 15h50

O secretário do comitê, Geir Lundestad, disse que, se nenhum familiar próximo puder comparecer à cerimônia, o comitê reteria temporariamente o prêmio, que consiste em uma medalha, um diploma e 10 milhões de coroas suecas (1,44 milhão de dólares).

"Parece que a família de Liu Xiaobo desistiu de acreditar que alguém da família do vencedor do prêmio será capaz de viajar da China e estar presente em Oslo no dia 10 de dezembro", disse Lundestad ao site da NRK.

Ele disse que a cerimônia, uma festa de gala na Prefeitura de Oslo, ocorreria na data prevista, mas sem a apresentação do prêmio.

Liu Xiaobo esperava que as autoridades chinesas permitissem que sua mulher, Liu Xia, recebesse o prêmio em seu nome em Oslo, afirmou a NRK.

Em uma nova lista de convidados esperados apresentada ao comitê do Nobel pelos representantes de Liu Xiaobo, no entanto, não havia nenhum membro da família dele, afirmou Lundestad.

"A família, é claro, tem um convite permanente", disse ele à NRK.

Lundestad não estava imediatamente disponível para comentários ao ser contatado pela Reuters.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINANOBELFAMILIAAUSENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.