Família de Ingrid ocultou provas, acusa ex-refém

A ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Clara Rojas acusou a família de sua companheira de cativeiro, a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, de ocultar durante dois meses uma de suas provas de vida. Em entrevista ao jornal colombiano El Tiempo, Clara afirmou que a ação teria como objetivo preservar o protagonismo de Ingrid. A ex-refém lança na semana que vem o livro Cativa, no qual narra os quase seis anos em que ficou sequestrada. Clara ainda culpa Ingrid e o coronel Luis Mendieta, outro dos reféns, por ter sido separada de seu filho Emmanuel, nascido em cativeiro e entregue à família de um camponês, que o entregou ao serviço social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.