Família de militar que virou herói é morta no México

Familiares de um fuzileiro naval convertido em "herói nacional" depois de morrer em uma ação contra o cartel Bertrán Leyva foram assassinados hoje no que seria uma ação de vingança. O fuzileiro naval Melquisedet Angulo perdeu a vida há cinco dias na operação que também resultou na morte do chefe do tráfico Arturo Beltrán Leyva. Normalmente o nome de militares que participam em incursões desse tipo não são divulgados. No entanto, Angulo foi tratado pelo governo como um "herói", o que acabou expondo seus familiares.

AE-AP, Agencia Estado

22 de dezembro de 2009 | 19h23

Na noite de ontem, homens armados invadiram a casa da família em Quintin Arauz, no Estado de Tabasco, e mataram a mãe, o irmão, a irmã e a tia do fuzileiro naval. Segundo policiais, foram encontradas mais de 80 balas na casa. Horas antes do ataque, a mãe de Angulo havia recebido uma bandeira do México e promessas de uma pensão vitalícia em uma homenagem de militares ao filho.

O presidente mexicano, Felipe Calderón, qualificou os assassinatos como "uma covardia" e prometeu ampliar a guerra contra as drogas. "Não nos deixaremos amedrontar por criminosos sem escrúpulos, como os que cometem esse tipo de barbárie", afirmou Calderón. "Eles precisam pagar por seus crimes."

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicotráficoassassinatosfamília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.