Stringer/ Reuters
Stringer/ Reuters

Família de Qassim Suleimani diz que Hezbollah se vingará de sua morte

Em entrevista concedida à TV libanesa, filha do general disse que Donald Trump 'não foi corajoso' ao ter comandado ataque por drone de longa distância

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2020 | 10h49

BEIRUTE - A filha do general iraniano Qassim Suleimani, morto na última quinta-feira, 2, após ataque de drone ordenado por Donald Trump, disse neste domingo, 5, que a morte de seu pai "não vai nos quebrar" e os Estados Unidos devem saber que o sangue de seu pai “não foi derramado em vão”.

Zeinab Soleimani disse à TV Al-Manar, do Líbano - que está ligada ao grupo Hezbollah, apoiado pelo Irã - que o "imundo" presidente Donald Trump não será capaz de aniquilar as realizações do líder iraniano morto.

Na curta entrevista, exibida neste domingo, Zeinab afirmou que Trump não é corajoso porque seu pai foi alvo de mísseis de longa distância, e que o presidente dos EUA deveria ter ficado "cara a cara" com ele. 

A jovem, que falou em farsi com narração em árabe, disse saber que o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, vingará a morte de seu pai. / AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.