Família real celebra os 100 anos da Batalha de Somme

O dia 1º de julho de 1916 foi o dia mais sangrento da História do Reino Unido e deixou 20 mil mortos e/ou desaparecidos

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2016 | 09h25

THIEPVAL, FRANÇA - A família Real britânica participou, na quinta-feira, no Memorial de Thiepval, em Somme, de uma vigília militar às vésperas das comemorações do centenário da Batalha de Somme.

O casal William e Kate, assim como o príncipe Harry, chegaram às 22h locais para assistir ao início da cerimônia, durante a qual homenagearam os inúmeros soldados britânicos que atuaram na batalha. A perda total é estimada em 1,2 milhão de homens, entre mortos, feridos e desaparecidos. Desses, 500 mil eram do lado britânico.

O 1º de julho de 1916, início da ofensiva, permanece como o dia mais sangrento da História britânica, com 20 mil mortos e/ou desaparecidos, e 40 mil feridos.

"Perdemos a flor de uma geração. E, nos anos que se seguiram, é como se com eles tivesse, às vezes, desaparecido para sempre uma parte do otimismo vital da vida britânica. Em muitos aspectos, esse dia foi o mais triste da longa história da nossa nação", declarou o príncipe William, em um curto discurso, diante de aproximadamente 100 pessoas.

"Reconhecemos esta noite os fracassos dos governos europeus, incluindo o nosso, para evitar a catástrofe da guerra mundial", completou William, acrescentando que "seu sacrifício não será nunca, nunca esquecido".

Em seguida, seu irmão Harry leu o poema do tenente William Noël Hodgson, "Before action" (“Antes da ação”), escrito dias antes de sua morte no campo de batalha, em 1º de julho. Militares também leram cartas de soldados escritas antes da ofensiva.

A família Real saiu 30 minutos depois do imponente memorial, iluminado pela primeira vez após meses de obras.

Representantes militares de todos os países envolvidos no conflito (Reino Unido, França, Irlanda, África do Sul, Nova Zelândia, Canadá, Índia, Paquistão e Alemanha) participam da homenagem e farão uma guarda de honra diante do monumento por toda a noite.

A primeira guarda será composta exclusivamente de soldados britânicos e franceses. A troca de guarda acontecerá ao longo da noite.

Nesta sexta-feira, 1º, acontecem as principais cerimônias dedicadas ao "confronto mais sangrento da Grande Guerra", na presença do presidente francês, François Hollande, e do primeiro-ministro britânico, David Cameron, entre outras autoridades. /AFP

Mais conteúdo sobre:
Reino UnidoFamília RealGuerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.