Família revezou-se em casa para impedir demolição

Ye Hongxia, de 37 anos, vivia com o marido, a mãe e mais quatro parentes na casa em estilo tradicional chinês onde nasceu. Em 1º de março de 2008, capangas contratados por uma empreiteira invadiram o lugar e quebraram portas, janelas e móveis. Na mesma noite, todos se mudaram para casas de parentes. Durante os 14 meses seguintes, os adultos da família passavam o dia na casa, em um esquema de revezamento, para tentar impedir que ela fosse demolida. Em 9 de maio de 2009, nenhum deles estava no lugar e Ye recebeu um telefonema dizendo que sua residência estava sendo derrubada. A família não recebeu nenhuma indenização pela demolição. Agora, ela se prepara para pedir indenização pelos ferimentos que sofreu, antes de iniciar a ação na qual pedirá a declaração de ilegalidade da demolição.

Cláudia Trevisan, O Estado de S.Paulo

16 Maio 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.