Familiares de vítimas protestam contra libertação de Carriles

Os familiares das vítimas o atentado a um avião cubano em 1976 concluíram neste domingo, 22, a vigília realizada durante 34 horas em frente ao Escritório de Interesses dos Estados Unidos em Havana contra a libertação do anticastrista Luis Posada Carriles.Ao término da última guarda da vigília efetuada na "Praça das Bandeiras" de Havana, Ileana Alfonso falou em representação do Comitê de Familiares das vítimas da explosão do avião, para exigir que o anticastrista "retorne imediatamente à prisão, seja julgado como o terrorista internacional que é e seja extraditado à Venezuela".Posada Carriles, um ex-agente do Serviço Central de Informação (CIA) de 79 anos, foi libertado na quinta-feira, sob fiança de US$ 350 mil, por um tribunal federal de El Paso (Texas), após permanecer preso desde 2005 nos Estados Unidos, acusado por fraude migratória e falso testemunho.Cuba e Venezuela o acusam de múltiplos atos terroristas, entre eles vários atentados contra hotéis na ilha e a explosão de um avião da companhia Cubana de Aviación, que causou a morte de 73 pessoas.Alfonso disse que seis mil pessoas participaram da vigília de protesto, que começou no início da manhã desta sexta-feira, e denunciou que a Administração do presidente George W. Bush "protege, dá refúgio e alimenta conhecidos terroristas" como o anticastrista Luis Posada Carriles."Exigimos o fim da proteção ao assassino de nossas famílias, que (o Governo americano) honre os convênios dos quais são signatários e o obriguem a julgar Posada como o que é, um terrorista", acrescentou.Posada Carriles se transferiu a Miami (Flórida), onde deverá cumprir prisão domiciliar e terá de carregar um dispositivo eletrônico para que as autoridades sigam seus passos, além de não poder conversar com ninguém relacionado a seu caso e só deixará a residência de sua família com uma ordem judicial.Os Comitês de Defesa da Revolução (CDR), que reúnem mais de oito milhões de filiados, segundo dados oficiais, e a Associação Nacional de Pequenos Agricultores (ANAP) reivindicaram "justiça", condenaram a libertação de Posada Carriles e acusaram o Governo dos EUA de atuar com "moral dupla".A imprensa cubana destacava hoje que mais de 2.400 personalidades internacionais e cubanas, incluindo intelectuais, acadêmicos, artistas e escritores, entre os quais o ator francês Gérard Depardieu e o cineasta bósnio Emir Kusturica, fizeram um abaixo-assinado no qual reivindicam o retorno à prisão e o processo de Posada Carriles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.