Famílias aguardam informações sobre desaparecidos

Moradores da cidade de Uwajima, sudoeste do Japão, aguardam com ansiedade maiores informações sobre o destino das nove pessoas, entre elas quatro adolescentes, que desapareceram após a colisão do barco escola Ehime Maru com um submarino nuclear norte-americano, próximo ao Havaí. O pesqueiro levava 35 tripulantes, em sua maioria estudantes, quando foi abalroado pelo submarino USS Greeneville."As coisas estão um tanto caóticas por aqui.", disse Masanori Mori, funcionário da prefeitura. Ele afirmou que o governo do Estado de Ehime, onde Uwajima se localiza, montou um centro de emergência para assistir as famílias e colher informações sobre o acidente com o pesqueiro-escola Ehime Maru. Uwajima fica 675 quilômetros a sudoeste de Tóquio.O navio de 499 toneladas pertence à Escola de Pesca Uwajima e deixou o Japão em 10 de janeiro para treinar os alunos na pesca de atuns, peixes-espada e tubarões. A escola tem 202 alunos. Dos desaparecidos, quatro são estudantes, dois são professores e três tripulantes. Dos resgatados, quatro estão hospitalizados e 12 sofreram ferimentos leves.Kyoko Sasaki, funcionária de uma loja próxima à escola, disse que os moradores dessa cidade de 66 mil habitantes não conseguem manter a calma. "Os alunos da escola só falam do acidente. Todos estamos muito preocupados", disse ela. Quando Kyoko foi informada do acidente, telefonou imediatamente para uma amiga cujo filho estuda na escola, e ficou aliviada ao saber que ele não estava no barco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.