Famílias de militares britânicos pedem a volta das tropas

Os parentes dos militares mortos ou feridos na Guerra do Iraque fizeram um apelo neste sábado, em Londres, para que as tropas britânicas voltem para casa o mais rápido possível.As famílias das vítimas britânicas do conflito iraquiano lançaram seu pedido ao governo no encontro nacional da coalizão contra a guerra, denominada "Stop the War". Participaram da reunião 600 delegados e observadores, o número mais alto desde que o grupo foi constituído.Eles também querem ser recebidos pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, de quem exigirão uma explicação pelo fato de ter levado o país a esse conflito impopular, e também uma posição sobre quanto tempo as tropas britânicas permanecerão no Iraque.Até agora, o primeiro-ministro se negou a recebê-los, embora tenha escrito a alguns pais, dizendo que seus filhos morreram defendendo ao país."Nós preferimos dizer que morreram a serviço do país, e seguimos sem entender por que o primeiro-ministro continua empenhado em não nos receber", queixou-se um porta-voz do movimento.Pauline Hickey, cujo filho, o sargento Christian Hickey, morreu no ano passado em um ataque aéreo contra Basra, disse que teria aceitado melhor sua morte se a guerra tivesse sido "legal".O grupo está fechando também os últimos detalhes para a realização de uma manifestação nacional, em Manchester, no mês de setembro, contra a guerra. O ato vai coincidir com a conferência anual do Partido Trabalhista."Temos de parar a máquina da guerra e fazer com que Blair pague por seus crimes de guerra", declarou um representante da coalizão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.