Famílias xiitas são mortas a tiros em Bagdá, diz polícia

Homens armados mataram neste domingo nove membros de duas famílias xiitas de Bagdá, disse a polícia, um dia depois que milicianos invadiram um bairro de população mista e forçaram a fuga de dezenas de famílias sunitas, elevando a violência sectária.A polícia disse que cerca de 20 homens armados mataram um pai e três filhos de uma família xiita, além de cinco irmãos de outra, depois de invadir suas casas em uma região de maioria sunita na zona sudoeste de Bagdá. O pai era um policial xiita, disse a polícia. Duas das vítimas da outra família tinham nomes comuns a xiitas.Uma fonte do Ministério do Interior confirmou que uma das duas famílias atacadas era xiita. Mas segundo outra fonte do ministério, parentes afirmaram que uma delas era sunita.O ataque aconteceu um dia depois que gangues de xiitas incendiaram casas e mataram pelo menos duas pessoas à luz do dia no bairro misto de Hurriya, no oeste de Bagdá, segundo testemunhas e autoridades.Dezenas de famílias sunitas, incluindo mulheres e crianças, fugiram de Hurriya a pé e em caminhões no começo da noite, em um dos piores incidentes de limpeza sectária na capital nas últimas semanas. Fontes do Ministério do Interior disseram que encontraram três corpos sem cabeça em Hurriya neste domingo.O Iraque vive um ciclo de mortes e represálias entre a maioria xiita e a minoria sunita, que já dominou o país, desde a explosão em um templo xiita em fevereiro. Autoridades dos EUA advertiram que os ataques de militantes sunitas da Al-Qaeda e de milicianos xiitas ameaçam dividir o Iraque.Quase meio milhão de iraquianos fugiram de suas casas devido à violência sectária. Muitos temem que as divisões levem o país a uma guerra civil.O secretário da Defesa dos EUA, Donald Rumsfeld, que está para deixar o cargo, fez uma visita de surpresa a tropas norte-americanas no Iraque. Ele foi um dos principais arquitetos da invasão liderada pelos EUA para derrubar Saddam Hussein e um dos maiores alvos de críticas à guerra."O inimigo deve ser derrotado", disse. "O general (John) Abizaid (comandante-chefe dos EUA) afirmou: ´Certamente podemos nos afastar deste inimigo, mas ele não vai se afastar de nós´", disse Rumsfeld às tropas na província de Anbar, centro da insurgência sunita, segundo o site do Departamento de Defesa norte-americano.Um painel bipartidário em Washington que estuda alternativas para as política do presidente George W. Bush no Iraque descreveu a situação no Iraque como "grave e se deteriorando."VingançaFontes do Ministério do Interior e testemunhas em Hurriya, bairro com bolsões sunitas e xiitas, disseram que homens da milícia Exército Mehdi, leais ao clérigo xiita Moqtada al- Sadr, foram responsáveis pelo ataque.Cerca de 80 pessoas foram obrigadas a fugir e refugiaram-se em uma escola no bairro vizinho de Amil.Testemunhas disseram que o ataque foi uma aparente vingança pelos assassinatos de 202 xiitas em novembro em um ataque múltiplo com carros-bomba em Sadr City, reduto xiita e bastião do Exército Mehdi."O exército Mehdi começou a atacar e queimar casas em Hurriya na manhã de sábado. Eles invadiram as casas e atearam fogo. O Exército iraquiano apenas observou", disse à Reuters Ahmed Ali al- Hashemite.Uma idosa chorava e gritava pedindo vingança. "Convoco os xiitas a pegarem armas e combaterem os seguidores de Moqtada al-Sadr, que queimou nossas casas e nos deixou desabrigados", dizia.Dezenas de milhares de iraquianos foram mortos e mais de 2.900 soldados dos EUA morreram desde a invasão de 2003 liderada pelos norte-americanos que derrubou o ex-presidente Saddam Hussein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.