FAO nega informação sobre contaminação de suínos

Um representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) em Roma negou que existam casos de contaminação de suínos pelo vírus que provoca a influenza aviária (o H5N1) no Vietnã. Peter Roeder, especialista da FAO em saúde animal e em doenças provocadas por vírus, disse não não existem informações sobre o caso. Há algumas horas, o representante da FAO no Vietnã, Anton Rychener, anunciou que "o vírus H5N1 foi encontrado em amostras de secreção nasal de suínos". Segundo Rychener, o caso continuava sob investigação. Ele teria solicitado a ida de um especialista a Hanói para fazer uma avaliação mais precisa. "Me desculpe, mas a FAO não tem informações sobre isso", afirmou Peter Roeder, que trabalha na sede da FAO em Roma. "Não há dados disponíveis indicando que suínos estejam envolvidos com essa epidemia de influenza", acrescentou. Mesmo que a contaminação realmente exista, ela não ameaça a saúde humana, afirmou. "É de se esperar que suínos expostos ao vírus sejam infectados. Há também muitas outras pessoas contaminadas, que não apresentaram sintomas e que não disseminaram a doença", afirmou. A Dow Jones não conseguiu apurar por enquanto porque dois especialistas da mesma agência têm informações tão divergentes. Na Ásia é muito comum criar aves e suínos na mesma granja. E especialistas dizem que testes feitos a partir de secreções podem ser facilmente contaminados e que encontrar o vírus nas narinas dos animais não quer dizer que eles estejam contaminados. Por isso, outras análises são necessárias, como a sanguínea."Suínos podem hospedar uma mistura de vírus de aves e vírus de humanos. Eu não excluiria esses animais dessa coisa toda", disse recentemente John Oxford, um especialista em gripe da Escola de Medicina Queen Mary, em Londres. A porta-voz da Organização Mundial da Saúde, Fadela Chaib, disse a repórteres hoje em Genebra que cientistas têm monitorado criações de suínos nas regiões afetadas pela influenza no Vietnã e nenhum dos 300 testes realizados mostrou sinais do vírus que provoca a doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.