Farc aceitam devolver corpos de deputados via Cruz Vermelha

A guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) está disposta a aceitar a mediação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para devolver os cadáveres dos 11 deputados seqüestrados em 2002 e mortos no mês passado, informou nesta segunda-feira, 9, a entidade. "O CICV recebeu uma solicitação das Farc e o aval do governo nacional para antecipar a operação que permita a entrega dos corpos dos deputados a seus familiares", disse um comunicado divulgado nesta segunda. "Agora ambas as partes devem garantir as condições de segurança na região na qual estão os corpos" para iniciar os trabalhos correspondentes, assinalou Carlos Ríos, porta-voz da entidade humanitária. No dia 29 de junho, a CICV tinha oferecido seus serviços para mediar a entrega dos restos mortais dos deputados. As Farc revelaram em comunicado no dia 28 de junho que 11 dos 12 deputados regionais seqüestrados em 2002 morreram no dia 18 de junho em um "fogo cruzado" com um "grupo militar não identificado". Por sua parte, o governo assegurou que nesses dias não foram feitas operações militares na região montanhosa do sudoeste do país. A morte dos deputados causou profunda consternação e rejeição nacional e internacional. Para o governo colombiano, as Farc são as únicas culpadas dessa ação, que qualificou como "um assassinato". O CICV acrescentou no comunicado que "em inteesse dos familiares das vítimas e do sucesso da operação, é preciso realizar esta operação de maneira confidencial e discreta perante todas as partes interessadas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.