Farc ajudaram campanha de Correa, indica vídeo

Um vídeo de uma hora de duração recuperado pela polícia colombiana parece confirmar laços entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o presidente do Equador, Rafael Correa. Imagens encontradas no computador de Adela Pérez, representante do secretariado do grupo rebelde em Bogotá, mostram o chefe militar da guerrilha, Jorge Briceño Suárez, conhecido como "Mono Jojoy", lendo uma carta que o fundador das Farc, Manuel Marulanda, deixou em seu leito de morte.No vídeo, obtido pela agência de notícias Associated Press, Mono Jojoy afirma que documentos da guerrilha, apreendidos após a morte de Raúl Reyes em uma ofensiva militar da Colômbia em território equatoriano no ano passado, revelaram os "segredos" das Farc. Entre esses segredos estaria a "assistência em dólares para a campanha de Correa e o encontro com alguns representantes".O valor dessa ajuda não é revelado e não fica claro se o presidente equatoriano estava ciente do contato com os guerrilheiros. No entanto, as afirmações feitas por Mono Jojoy dão base às afirmações de Bogotá de que líderes rebeldes teriam discutido pagamentos de pelo menos US$ 100 mil para a equipe de Correa.Mono Jojoy também fala sobre a importância estratégica de "manter boas relações políticas, de amizade e confiança com os governos da Venezuela e do Equador".O governo equatoriano já negou diversas vezes ter vínculos com as Farc - grupo considerado terrorista pelos EUA e a União Europeia. Questionado sobre o conteúdo do vídeo, o ministro da Defesa equatoriano, Miguel Carvajal, rejeitou as acusações. Segundo ele, se ficar comprovada a autenticidade das imagens, Quito investigará quem são as pessoas que tiveram contato com a guerrilha em nome da campanha eleitoral de Correa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.