Farc classificam de "precária" a vitória de Uribe

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) afirmaram que o presidente Alvaro Uribe conseguiu uma "vitória precária" que satisfaz os Estados Unidos e ameaça a revolução bolivariana do presidente venezuelano, Hugo Chávez.Em uma mensagem divulgada no site da guerrilha na internet, Iván Márquez, um dos sete membros da cúpula das Farc, disse que Uribe obteve na verdade 27,5% dos votos potenciais, o que transforma sua reeleição "na vitória da ilegitimidade".Uribe foi reeleito para o período 2006-2010 com 7,3 milhões dos votos, que representam 62% dos votos válidos. A alta abstenção de 55% registrada nas eleições foi considerada dentro dos parâmetros históricos.Segundo o dirigente da guerrilha, Uribe venceu a reeleição graças à "máquina do Estado, do voto cativo do funcionalismo, das fraudes e pressões do narcoparamilitarismo de Estado, do voto induzido pela cruzada das empresas de pesquisa e da grande mídia".Segundo Márquez, o Comando Sul do Exército americano enviará tropas à Colômbia para deter a revolução bolivariana do presidente Chávez. "Instalar tropas ianques na Colômbia é mirar não apenas contra a inconformidade interna; seria apontar também contra a revolução bolivariana da Venezuela, verdadeiro foco que irradia esperança de liberdade para os povos deste hemisfério", afirmou Márquez.O primeiro comentário de um porta-voz oficial das Farc ocorre num momento em que o governo de Uribe expressou seu interesse de buscar caminhos para a paz com a guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.