Farc contradizem Santos e afirmam que general será solto no domingo

Presidente da Colômbia havia dito que militar seria posto em liberdade no sábado; sequestro suspendeu diálogo de paz em Havana

O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2014 | 17h23

HAVANA - A delegação de paz das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) afirmou nesta quinta-feira, 27, que domingo será o dia de libertação do general Ruben Darío Alzate e seus acompanhantes, e não sábado como havia anunciado ontem o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos. O sequestro fez o presidente Santos suspender os diálogos de paz com a guerrilha em Havana.

"Podemos garantir que o general Alzate, o cabo Jorge Rodríguez e a advogada a serviço do Exército Gloria Urrego, ao contrário do que ocorre com os nossos que estão presos na Colômbia, poderão abraçar os seus no próximo domingo (30), se contarmos com o aval da meteorologia", afirmou a guerrilha, em um comunicado divulgado nesta quinta-feira. 

No texto, as Farc se referem à "perfídia da campanha midiática" que qualifica o general e os outros dois reféns como "sequestrados", já que para eles são considerados prisioneiros de guerra. "A apreensão em combate de um adversário é a captura de um prisioneiro de guerra."

Segundo a nota, o general Alzate, um "chefe militar que tem sob seu comando milhares de homens e pode dispor de tecnologia militar de ponta, foi capturado em seu próprio esquema de operações" e por isso não pode ser denominado sequestrado. A insurgência reiterou sua vontade de ir à selva de Chocó, onde o general e as outras duas pessoas estão retidas desde o último dia 16 "para propiciar sua liberdade".

Após dias de especulações sobre uma possível data de entrega e apenas 24 horas depois de os soldados César Rivera e Jonathan Díaz serem colocados em liberdade, condição imposta por Santos para retomar as conversas de paz em Havana, o presidente anunciou a libertação do general e das outras duas pessoas que o acompanhavam.

"Anuncio uma informação que acaba de chegar, que tinham me perguntado muito, sobre quando vão libertar o general. De acordo com os protocolos, isso poderá acontecer sábado. Então no sábado teremos isso", disse ontem Santos em um fórum em Bogotá.

Também ontem, horas depois, o Ministério da Defesa anunciou, em comunicado, que já tinha recebido as coordenadas da área geográfica onde será feita a entrega dos três reféns, provavelmente na mesma região de selva do Estado de Chocó onde eles foram sequestrados. / EFE


Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.