Farc divulgam vídeo de soldado sequestrado há 12 anos

A senadora Piedad Córdoba revelou na manhã desta quinta-feira uma prova de que o cabo do Exército Pablo Emilio Moncayo, sequestrado pelo grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) há 12 anos, está vivo.

AE-AP, Agencia Estado

24 de setembro de 2009 | 14h59

"Senhor presidente (Alvaro) Uribe: abra a porta por favor que quero ser livre", disse Moncayo em um vídeo de quase cinco minutos que Piedad disse ter recebido na noite de ontem. "Creio que em um mês ele pode ser libertado", prevê a legisladora.

Quando se dirige a Uribe, Moncayo bate várias vezes o punho em uma espécie de mesa que está na sua frente para indicar que o presidente tem as chaves para abrir as portas para sua liberdade.

"Há cerca de cinco meses perambulo pelo meio da selva, esquivando-me de operações, bombardeios, metralhadoras, ações que põem em risco minha integridade física", diz ele, com voz pausada. "Ainda assim, não perco a esperança de regressar são e salvo ao meu lugar, junto de meus familiares, e recuperar todos aqueles momentos que não passamos juntos, que não desfrutamos há muito tempo. Dizer-lhes que mantenho a esperança e estou motivado".

"Nós temos passado um tempo valioso de nossas vidas em abnegação e sacrifício para receber em troca a ingratidão, o esquecimento. É justo pois, que não nos neguem mais o direito de ser livres", diz Moncayo.

Em outro ponto ele acrescenta: "espero somente que não sigam colocando travas à minha liberação e que com o apoio de todos vocês, de todos os colombianos, se consiga também a libertação de meus outros companheiros".

Ele envia saudações para várias pessoas. Primeiramente para seus pais, Gustavo e Stella, para a senadora Piedad Córdoba e para os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Equador, Rafael Correa. "Agradeço a eles todas as atitudes que tomaram para conseguir nossa liberação", afirma.

No vídeo, Moncayo, que tem 31 anos, veste uma espécie de jaqueta verde e um cachecol. Ele também está de bigode e barba. Ao final do vídeo, em silêncio, ele sorri.

Horas depois da divulgação do vídeo, o Alto Comissário para a Paz, Frank Pearl, disse que "neste momento estamos esperando informações da parte das Farc".

"O governo tem a porta aberta", afirmou Pearl, ao responder ao pedido de Moncayo. "Temos as portas abertas, obviamente, sob certas condições", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcsequestradosoldado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.