Reprodução/EFE
Reprodução/EFE

Farc dizem que libertarão jornalista francês 'em breve'

Grupo disse em mensagens no 'Twitter' que capturou Romeo Langlois e que ele será libertado

AE, Agência Estado

07 Maio 2012 | 08h38

BOGOTÁ - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram no domingo, 6, que em breve libertarão o jornalista francês capturado há mais de uma semana durante um combate entre guerrilheiros e tropas do exército.

Veja também:

link Brasil oferece ajuda para libertar francês das Farc

link UE pede libertação de jornalista francês sequestrado pelas Farc

link Entidades pedem libertação de jornalista francês no Dia da Liberdade de Imprensa

O jornalista Romeo Langlois, de 35 anos, foi feito refém pelas Farc no remoto estado sulista de Caquetá, onde os guerrilheiros têm uma forte presença.

"Confirmamos a identidade de nosso prisioneiro: Romeo Langlois, da França, jornalista de profissão", o grupo disse numa série de mensagens no Twitter. "Ele logo será libertado, são e salvo".

Langlois acompanhava uma unidade antinarcóticos do exército colombiano para filmar um documentário para o canal francês de notícias France 24, em 28 de abril, quando o grupo foi atacado por cerca de 100 militantes das Farc. Pelo menos quatro militares foram mortos e outros seis ficaram feridos no confronto. Após ser baleado no braço, o francês supostamente se rendeu aos rebeldes.

Em comunicado divulgado ontem, as Farc continuaram a se referir a Langlois como "prisioneiro de guerra", rótulo rejeitado pelos governos da Colômbia e França.

As Farc, que tem cerca de 9 mil guerrilheiros, combate o governo colombiano há décadas. O grupo se mantém basicamente com recursos do tráfico de drogas e, embora não tenha o mesmo poder de uma década atrás, continua a agir em muitas áreas rurais tomadas pelo desemprego e pobreza.

As informações são da Dow Jones

Mais conteúdo sobre:
Colômbia Farc francês

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.