Farc dizem que vítimas de massacre eram paramilitares

O massacre de 34 camponeses na colômbia, atribuído à guerrilha de esquerda, ocorreu durante combates entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e grupos paramilitares, informa a agência de notícias Anncol - que divulga informes dos rebeldes - em sua página na internet. Segundo a agência, o presidente Alvaro Uribe "chora lágrimas de crocodilo pela morte de 34 narco-paramilitares, precisamente em uma plantação de coca, durante uma incursão armada das Farc".Explica que a incursão rebelde fez parte "do combate sem quartel que a organização guerrilheira vem realizando contra as forças militares-paramilitares do regime fascista colombiano". Ontem, o presidente Uribe condenou a matança, classificando-a de "terrorismo mesquinho", e pediu um repúdio internacional contra este tipo de ação, que, segundo ele, afeta os camponeses pobres, que são forçados a viver dos cultivos ilegais de coca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.