AFP PHOTO / GUILLERMO LEGARIA
AFP PHOTO / GUILLERMO LEGARIA

Farc e governo colombiano acertam acolhimento de menores rebeldes

Medida, que entrará em vigor no sábado, será coordenada por equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha apoiados por dois delegados de organizações sociais; menores serão entregues à equipe de recepção formada por representantes da UNICEF

O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2016 | 11h58

BOGOTÁ - O governo colombiano e a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram na terça-feira, 6, o protocolo de saída e o plano transitório de acolhida para a desmobilização, a partir de sábado, dos menores que se encontram nos acampamentos do grupo rebelde, em mais uma etapa do processo de paz.

"Para tal será formada uma equipe de traslado, composta por pessoal do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), que coordenará as operações, e dois delegados de organizações sociais", que formarão a mesa técnica encarregada de revisar o cumprimento do acordo.

"No local de saída, a CICV avaliará preliminarmente o estado de saúde - física e mental - dos menores, verificará suas identidades e sua informação pessoal básica...".

Os menores serão entregues posteriormente "à equipe de recepção formada por representantes da UNICEF", que nos centros de acolhida farão "uma segunda avaliação médica e psicológica", antes de iniciar "as atividades preparatórias para a fase de reincorporação, reparação integral e inclusão social".

O comunicado destaca que "a CICV será a única encarregada de informar publicamente sobre os progressos no cumprimento deste protocolo, nesta primeira fase da saída dos menores dos acampamentos das Farc".

Após quase quatro anos de negociações em Havana, o governo e as Farc obtiveram um acordo para acabar com um conflito armado de meio século, que deixou ao menos 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e 6,8 milhões de deslocados. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.