Farc libertam dois policiais colombianos

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertaram hoje, no sul da Colômbia, dois policiais que tinham seqüestrados em novembro de 2005, após uma primeira tentativa fracassada no fim de semana passado, informaram porta-vozes oficiais. Os dois policiais, Eder Luis Almanza Patrón e Carlos Alberto Legarda, foram entregues a uma comissão do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), em um lugar não divulgado no sul do país, informou um porta-voz da organização humanitária. O presidente, Álvaro Uribe, após conhecer a libertação dos seqüestrados disse que "o Governo agradece a discreta e eficaz tarefa da Cruz Vermelha Internacional" neste trabalho e que fica demonstrado que "para libertar seqüestrados não é necessário zona de evacuação". No fim de semana passado, em uma primeira tentativa, a presença de tropas militares colombianas na zona e o mau tempo impediram a libertação dos dois seqüestrados. A guerrilha acusou o presidente Uribe de sabotagem, pelas operações militares preventivas, que impediram a libertação dos dois policiais. A Cruz Vermelha reiterou sua disposição em apoiar a busca de mecanismos para obter a libertação dos "reféns, assim como dos militares e policiais que continuam privados da liberdade". As Farc propõem há anos a troca de mais de sessenta "prisioneiros de guerra" em troca de mais de quinhentos rebeldes do grupo presos na Colômbia e no exterior.

Agencia Estado,

26 Março 2006 | 00h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.