Farc negam ter vínculos com Beira-Mar

O porta-voz das Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (FARC), Raúl Reyes, negou aexistência de qualquer vínculo de sua organização com onarcotraficante brasileiro Luiz Fernando da Costa, o FernandinhoBeira-Mar. Falando na noite desta quinta-feira, Reyes assegurou que asacusações de vínculos fazem parte de uma trama montada peloExército colombiano para atrapalhar o processo de paz que asFARC mantêm com o governo do presidente Andrés Pastrana há maisde dois anos. Fernandinho, em suas declarações à Promotoria Geral daColômbia na semana passada, negou manter negócios ilícitos comas FARC. Ele disse que conhecia, sim, o "Negro Acácio",comandante da Frente 16 das FARC que opera na fronteira com oBrasil. Essa frente é acusada pelas autoridades militares de serum dos maiores provedores de drogas aos narcotraficantes depaíses vizinhos. De acordo com as autoridades colombianas, o capobrasileiro vivia na selva amazônica colombiana sob a proteçãodas FARC. Segundo informes oficiais, Fernandinho entregavamensalmente a essa guerrilha US$ 10 milhões, produto de suasvendas de narcóticos e de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.