Farc negociarão mesmo sem trégua, diz porta-voz

A guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) disse em entrevista exclusiva à Associated Press que continuará a negociar com o governo da Colômbia um acordo de paz mesmo sem um cessar-fogo entre seus combatentes e os militares, afirmou um comandante do grupo e porta-voz em Cuba, Marco León Calarcá. Segundo ele, nem a ausência de uma trégua, ou então de Simón Trinidad nas negociações, impedirá que o processo siga adiante. Trinidad é um chefe guerrilheiro preso nos Estados Unidos desde 2005.

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2012 | 20h25

"Olhando as coisas com otimismo, pensamos que não existe problema que não possa ser resolvido", disse Calarcá à AP. Na noite da quinta-feira, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, descartou um pedido das Farc por cessar-fogo durante as negociações. Já Simón Trinidad, codinome do chefe guerrilheiro Ricardo Palmera, está preso nos EUA desde 2005, condenado a 60 anos de prisão por sequestros. Calarcá foi um dos chefes das Farc que no final de agosto firmaram o acordo com o governo da Colômbia para abrir as negociações, que terão início em Oslo em outubro.

Calarcá disse que dos dois temas, o mais complicado é o da trégua. "A questão da trégua é mais complicada porque significa mortes, dor humana", afirmou. "Não estamos dizendo que se não houver cessar-fogo não negociaremos....mas dizemos que se vamos conversar, se estamos dispostos a fazer as pazes, não devemos combater mais".

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.