Farc pagariam milhões por urânio, diz vice colombiano

O vice-presidente da Colômbia, Francisco dos Santos Calderón, pediu que a América Latina evite que as que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tenham acesso a material radioativo. Em entrevista ao Estado, Santos afirmou que Bogotá pedirá a ajuda dos EUA para fazer avançar as investigações sobre a informação de que as Farc tentaram comprar 50 quilos de urânio. "Vamos contar com a colaboração do FBI para saber mais detalhes do plano", disse. Santos vem se reunindo com ministros de todo o mundo nos últimos dois dias na ONU para tentar explicar a posição colombiana e evitar um isolamento.Segundo ele, as informações estavam nos computadores das Farc, em cartas entre chefes guerrilheiros e Raúl Reyes, morto no sábado, indicando que o grupo tinha dinheiro para comprar o urânio. "A idéia de ter um grupo terrorista com material radioativo é para deixar qualquer um preocupado", afirmou Santos. "Não podemos mais tratá-los com simplicidade", disse. "Segundo a carta, as Farc estariam dispostas a pagar US$ 2,5 milhões por quilo de urânio que certamente viria do mercado negro", afirmou. DENÚNCIAO presidente colombiano, Álvaro Uribe, anunciou ontem que denunciará o presidente venezuelano, Hugo Chávez, ao Tribunal Penal Internacional "por patrocinar o terrorismo e financiar genocidas". Caracas considerou a ameaça "risível".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.