Farc propõem trocar 24 reféns por rebeldes detidos

Os guerrilheiros esquerdistas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) propuseram a troca de 24 políticos seqüestrados por membros de sua organização detidos nas prisões colombianas, admitiram porta-vozes do Ministério do Interior. As Farc mantêm seqüestrados a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, o governador do departamento (estado) de Antioquia, Guillermo Gaviria, o ex-ministro Gilberto Echeverri, dois senadores, 12 deputados da Assembléia do departamento de Valle del Cauca, um ex-governador e um ex-congressista, entre outros políticos.As gestões para obter sua libertação não tiveram êxito até agora, nem tampouco as operações militares para resgatá-los. A troca, no entanto, foi descartada pelo governo, em virtude de uma cláusula da Constituição que o proíbe expressamente de negociar esse tipo de troca.Surgiu, no entanto, a possibilidade de que se possa recorrer à figura legal do "intercâmbio humanitário" dos seqüestrados pelos presos, sem que a operação seja caracterizada como "uma troca", disseram porta-vozes do Ministério do Interior. O presidente Andrés Pastrana, que terminará seu mandato em 7 de agosto, reiterou em várias ocasiões que constitucionalmente não podem ser realizadas trocas de seqüestrados por guerrilheiros presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.