Farc reafirmam luta armada contra o governo

Um porta-voz das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) afirmou que a organização guerrilheira se mantém em luta armada contra o governo do presidente Alvaro Uribe, já que consideram que as políticas governamentais empobrecem a população. "As Farc estão dispostas a empregar o tempo e os recursos necessários para dar resposta política armada às políticas de desemprego, subemprego, baixos salários, altos impostos, alta da gasolina e produtos de consumo popular, promulgadas pelo governo", disse o porta-voz rebelde, comandante Raúl Reyes, ao semanário comunista Voz, em sua edição desta quarta-feira. Segundo Reyes, as reformas trabalhista, previdenciária e tributária promovidas por Uribe, bem como o severo plano de ajuste fiscal, afetam 95% da população. Assegurou de modo desafiador que "nada nem ninguém conseguirá que as Farc" desistam de seu propósito de construir um novo Estado e governo. "A luta continuará até que prevaleça a paz com justiça social e desapareça a repressão, a miséria e a entrega de nossa soberania pátria ao império ianque das multinacionais", disse. Também afirmou que os rebeldes mantêm erguida "a bandeira da paz" e que dedicam todos seus esforços para defender a população colombiana. As Farc são acusadas de cometer numerosas violações aos direitos humanos, seqüestros e ataques contra a população e a infra-estrutura de cidades e povoados da zona rural.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.