Farc reforça discurso de paz

O maior grupo rebelde da Colômbia defendeu energicamente negociações destinadas a acabar com meio século de insurgência ainda que essas conversas sejam afetadas pela captura surpresa de um general das forças rebeldes.

Estadão Conteúdo

19 Novembro 2014 | 20h31

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, suspendeu as negociações após as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) capturarem o general Ruben Dario Alzate e outros dois enquanto eles viajavam em um rio remoto no oeste da Colômbia no fim de semana.

O comandante das Farc conhecido como Ivan Marquez disse que a maior conquista até agora é um sentimento crescente de reconciliação entre os colombianos. De acordo com ele, cabe ao comandante militar das Farc nas selvas colombianas, conhecido como Timochenko, decidir o destino de Alzate. Ainda assim, ele declarou que confiava que a Cruz Vermelha Internacional e que os mediadores de paz internacionais, incluindo Cuba e Noruega, podem assegurar a sua libertação, se necessário.

Declarações de líderes rebeldes em Havana sugerem que eles querem uma solução rápida para o impasse. Os dois lados já chegaram a acordos de grande alcance sobre a reforma agrária, a participação política das FARC e como combater conjuntamente as drogas ilícitas. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.