Farsa envolve ministro francês

Supermercado contrata figurantes para aplaudi-lo

Andrei Netto, PARIS, O Estadao de S.Paulo

21 de agosto de 2009 | 00h00

Uma cadeia de supermercados da França admitiu ontem que pagou para que figurantes aplaudissem o novo ministro da Educação da França, Luc Chatel, durante sua visita a uma de suas lojas em Val-de-Marne, nas imediações de Paris. O farsa causou constrangimento a Chatel, que só queria mostrar à imprensa que o preço do material escolar está estabilizado graças a um acordo do governo com os grandes varejistas.Duas semanas antes da volta às aulas no país, o ministro convidou jornalistas a uma visita ao supermercado Intermarché, onde foram recebidos por funcionários do estabelecimento e membros da União por um Movimento Popular (UMP), principal partido da coalizão governista, que se passaram por consumidores.A fraude foi descoberta sem dificuldade em razão do amadorismo dos atores. Antes mesmo da chegada da comitiva oficial, falsas donas de casa e mães de alunos se plantaram diante das prateleiras de material escolar, escolhendo freneticamente os produtos, quando o resto do supermercado permanecia vazio. Após a saída de Chatel, elas abandonaram o material escolar sem comprar nada e levantaram suspeita dos jornalistas presentes, que não demoraram muito para descobrir a farsa. Questionado sobre o caso, Chatel se disse "chocado". "Foi um choque para mim porque essa iniciativa é oposta às minhas convicções e práticas", disse. "Tenho mais o que fazer do que organizar palmas em uma loja."O supermercado assumiu toda a culpa. "A iniciativa foi toda do Intermarché. Nem o ministro e nem seus colaboradores tinham conhecimento dela", afirmou, em nota, a empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.