Fatah afirma que governo de união palestino será formado em uma semana

Facções palestinas entraram em acordo sobre eleições, que devem ocorrer dentro de um ano

Agência Estado

12 de maio de 2011 | 16h12

RAMALLAH - Uma importante autoridade palestina disse nesta quinta-feira, 12, que o governo de união palestino será formado dentro de uma semana no âmbito do acordo de reconciliação de 27 de abril. "Eu espero que em uma semana tenhamos um novo governo formado por consenso", disse Nabil Shaath, figura importante do Partido Fatah, ao qual pertence o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

video TV Estadão: Gustavo Chacra analisa acordo entre Hamas e Fatah

 

Segundo ele, delegações das duas facções rivais, Fatah e Hamas, vão se reunir nos próximos dias na capital do Egito para elaborar uma lista de governo. "Assim que o governo estiver instalado, o comitê de monitoração árabe, liderado pelo Egito, vai diretamente para Gaza e provavelmente terá escritórios em Gaza", que atualmente é controlada pelo Hamas, afirmou Shaath.

 

"Com isso, o governo vai iniciar o plano de unificação, vai estabelecer todos os comitês que fizerem parte do acordo do Cairo, tudo por consenso", disse o integrante do Fatah, referindo-se aos comitês que cuidarão da segurança, reconciliação, administração e eleições.

 

Sobre o cargo de primeiro-ministro, posto atualmente ocupado por Salam Fayyad e o favorito dos doadores internacionais, Shaath disse que "se não chegarmos a um consenso sobre ele (Fayyad), analisaremos uma lista de outros palestinos".

 

O acordo entre o partido de Abbas, o laico Fatah, e o movimento islamita Hamas pede a formação de um governo interino composto por pessoas que não sejam ligadas a nenhuma das facções e que administre os territórios até as eleições gerais, que devem acontecer no prazo de um ano. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.