Fatah prende 54 ativistas do Hamas

Onda de detenções de militantes das facções rivais palestinas se intensifica e faz crescer tensão em Gaza e na Cisjordânia

REUTERS E AP, O Estadao de S.Paulo

29 de julho de 2008 | 00h00

As forças de segurança leais ao movimento Fatah - facção do presidente palestino, Mahmud Abbas - detiveram ontem mais 54 ativistas do Hamas na Cisjordânia, disseram ontem fontes do grupo radical islâmico que há um ano controla a Faixa de Gaza. Segundo o Hamas, a maioria dos detidos vive em Nablus e entre eles há vários acadêmicos e estudantes da Universidade Al-Najah. No domingo, o Fatah deteve 20 ativistas do Hamas em Jenin e 15 em Tulkarm.As tensões entre as duas facções palestinas aumentaram após um atentado na Cidade de Gaza, na sexta-feira, no qual morreram cinco militantes do Hamas e uma menina. No fim de semana, o Hamas deteve na Faixa de Gaza mais de cem militantes e simpatizantes do Fatah, acusado pelo atentado. O Fatah negou envolvimento no ataque e o atribuiu a um ajuste de contas interno do Hamas.Uma delegação do Hamas vai hoje ao Egito para discutir o conflito com o Fatah e o cessar-fogo com Israel, que busca obter a libertação do soldado Guilad Shalit, capturado por militantes palestinos em 2006. A delegação incluirá Moussa Abu Marzouk, um líder do Hamas que vive exilado na Síria. Ainda ontem, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, disse ao Parlamento que não será alcançado até o fim do ano um acordo de paz que inclua o status de Jerusalém, mas declarou que as diferenças sobre as fronteiras e a questão dos refugiados podem ser resolvidas. No início do mês, Olmert dissera que Israel e os palestinos nunca haviam chegado tão perto de um acordo. Os palestinos querem o setor oriental de Jerusalém (ocupado por Israel em 1967) como a capital de seu futuro Estado, mas Israel considera a cidade sua capital eterna e indivisível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.