Fatah promete se vingar pela morte de palestino

Militantes do grupo Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, um braço armado do Movimento de Libertação Nacional da Palestina (Fatah), prometeu se vingar da morte do prisioneiro palestino, Arafat Jaradat, que eles afirmam ter sido torturado em uma prisão de Israel.

AE, Agência Estado

25 de fevereiro de 2013 | 10h13

"Este crime horrível não sairá impune e nós prometemos que a ocupação sionista responderá" por esta morte, afirmou o grupo em um folheto distribuído nesta segunda-feira para as pessoas que acompanhavam o funeral de Jaradat, ao mesmo tempo em que membros armados e mascarados observavam o movimento no teto dos prédios, de acordo com jornalistas da AFP que estava no local.

Milhares de pessoas participaram da procissão funerária para acompanhar o enterro de Jaradat, de 30 anos, morto sob custódia de Israel. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaIsraelFatah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.