Fay pode virar furacão antes de atingir a Flórida

A tempestade tropical Fay atravessava hoje a região central de Cuba em meio a previsões de que o fenômeno se transformaria em furacão no percurso entre o arquipélago cubano e a Flórida. As chuvas torrenciais e os fortes ventos obrigaram as autoridades cubanas a removerem a população de dezenas de comunidades, a cancelar festas do carnaval local e a emitir um alerta de inundações. Não há informações sobre vítimas em Cuba.Na manhã de hoje (hora de Brasília), Fay encontrava-se no litoral norte do oeste de Cuba. O olho da tempestade passava perto de Varadero (cerca de 125 quilômetros ao leste de Havana) e já estava a cerca de 160 quilômetros de Key West, na Flórida. A tempestade dirigia-se a noroeste a 19 quilômetros por hora. Os ventos tinham velocidade sustentada de 100 km/h. Durante o fim de semana, a tempestade provocou cinco mortes confirmadas em sua passagem pela Ilha Hispaniola, dividida pelo Haiti e pela República Dominicana. Um deputado haitiano informou que um ônibus com 43 pessoas a bordo foi levado pela torrente ontem ao tentar atravessar um rio que havia transbordado durante a passagem da tempestade tropical pelo país. "Apenas 13 pessoas foram encontradas com vida e teme-se que pelo menos 30 tenham morrido no incidente, ocorrido no sul do Haiti", disse o deputado Arcluche Louis-Juene.Os mantenedores de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) ainda não dispõem de informações para comentar o acidente e funcionários da defesa civil haitiana não foram encontrados hoje pela manhã.Meteorologistas do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos previam que Fay atingiria um conjunto de ilhas no litoral da Flórida ainda hoje. A expectativa dos cientistas é de que a tempestade ganhe força de furacão. A Flórida declarou estado de emergência e os visitantes foram orientados a deixar as ilhas conhecidas como Keys antes da chegada da tempestade. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.