Mario Valdez/Reuters
Mario Valdez/Reuters

Fazenda de brasileiros no Paraguai é 1ª ocupação de terra pós-Lugo, diz jornal

Propriedade de mais de 1900 hectares teria sido ocupada por cerca de 90 famílias de sem-terra

BBC Brasil, BBC

25 de junho de 2012 | 06h27

ASSUNÇÃO - Uma fazenda pertencente a dois brasileiros se tornou o primeiro terreno a ser ocupado por sem-terras no Paraguai desde o impeachment do presidente Fernando Lugo e a posse de Federico Franco, na sexta-feira, 22, segundo informou o jornal paraguaio Última Hora, em sua versão eletrônica.

Veja também:

link Dilma conversa com Argentina e Uruguai para tratar do Paraguai

link Suprema Corte rejeita ação de Lugo para anular julgamento político

De acordo com o diário, a fazenda conhecida como Ex-La Reina, de 1.982 hectares e situada no distrito distrito de Capiibary, pertence aos brasileiros Clóvis Vieira e Troiler Omar. Um total de 90 famílias de sem-terra teriam ocupado o terreno dos dois brasileiros que conta com plantações de milho e de soja.

Um conflito entre trabalhadores sem-terra e policiais que deixou 17 mortos deu início ao processo movido pela oposição que resultou no impeachment de Lugo.

Ameaça

De acordo com os sem-terra que ocuparam a fazenda, os fazendeiros promoviam a fumigação indiscriminada em seu terreno, o que ameaçava a comunidade que residia nos arredores.

Um dos líderes camponeses que participou da invasão, Milcíades Quintana, afirmou, em entrevista ao jornal, que os trabalhadores rurais vinham tentando comprar a fazenda há nove anos, mas que o processo estaria paralisado.

O advogado Ruben Sosa, que representa os fazendeiros brasileiros disse ao Última Hora que a invasão fere os direitos de seus clientes, porque os impede de trabalhar. O advogado afirmou também que espera que o Ministério Público determine a prisão dos invasores.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.