FBI ajudou a instaurar o Plano Condor, diz NYT

Os EUA conheciam e apoiavam asatividades do Plano Condor - a rede ilegal de perseguição,tortura, desaparecimento e assassinato de opositores, coordenadonos anos 70 pelos regimes repressivos da Argentina, Chile,Paraguai, Uruguai e Brasil. O jornal New York Times disse hoje que um documentodo Departamento de Estado recentemente desclassificado"demonstra que os militares da América Latina envolvidos noPlano Condor, que uniu os esforços dos governos de ultradireitados anos 70 para afastar a oposição esquerdista, empregaraminstalações de comunicações dos EUA para trocar informações deinteligência". "Há documentos que demonstram que o FBI ajudou nosesforços iniciais (para a elaboração) do Plano Condor, para ainvestigação de esquerdistas da América do Sul que foram presose, ao menos em um caso, torturados", afirmou o jornal. O documento foi descoberto pelo professor Patrice McSherry da Universidade de Long Island, entre os milhares dedocumentos relacionados com as ditaduras sul-americanasdesclassificados pelos EUA, disse o Times. Segundo os documentos, como diz o diário, "se osmilitares latino-americanos usaram instalações dos EUA paratransmitir informação de inteligência, isto propiciou aosfuncionários americanos ocasião para monitorar de perto asatividades do (Plano) Condor".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.