FBI apura grampo de jornal a vítimas do 11 de setembro

News Corp. teria tentado grampear telefones de vítimas dos atentados contra os EUA

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 15h58

NOVA YORK - A polícia federal norte-americana (FBI) investiga indícios segundo os quais a News Corp., conglomerado de mídia envolvido em um escândalo de escutas ilegais na Inglaterra, teria tentado grampear os telefones de vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos. A informação foi dada à AP nesta quinta-feira, 14, por uma fonte nos serviços de segurança do país.

 

Veja também:

linkFamília de Jean Charles pode ter sido alvo de grampo telefônico

linkEditora responderá a perguntas no Parlamento

linkEx-diretor executivo é detido em Londres

 

A sucursal do FBI em Nova York não se pronunciou sobre o assunto hoje. A AP também buscou contato com a News Corp., pertencente ao magnata australiano Rupert Murdoch, e com o escritório de advocacia que a representa nos EUA, mas não obteve resposta até o momento.

 

A News Corp. era a proprietária do tabloide semanal News of the World, tirado de circulação no domingo, após 168 anos, depois do agravamento de denúncias sobre grampos, inclusive de uma jovem de 13 anos sequestrada e posteriormente assassinada.

 

Leia mais:

lista Entenda o escândalo dos grampos envolvendo o 'News of the World'

 

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.