FBI apura se Petraeus pôs segredos em risco

Investigação deve determinar se amante de diretor da CIA que renunciou em razão de caso extraconjugal teve acesso a mensagens confidenciais

DENISE CHRISPIM MARIN , CORRESPONDENTE / WASHINGTON , O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2012 | 02h02

O FBI, a polícia federal americana, investiga se Paula Broadwell, pivô da renúncia do general David Petraeus da chefia da CIA, teve acesso a informações confidenciais dirigidas a ele. Ontem, a imprensa do país revelou que a investigação que levou à descoberta do caso extraconjugal de Petraeus com Paula - e à demissão do militar da CIA - teve início com uma denúncia de que ela mandaria e-mails ameaçadores a uma terceira pessoa.

Quando os agentes do FBI começaram a examinar os correios eletrônicos de Paula, descobriram a relação secreta, segundo um funcionário do governo americano que não se identificou. A fonte afirmou que a pessoa supostamente ameaçada não pertence à família de Petraeus.

Em outubro, Paula escrevera para a Newsweek/The Daily Beast o artigo General David Petraeus Rules of Living (As Regras de Vida do General David Petraeus, em tradução livre). A regra número cinco diz que "todos nós podemos cometer erros". "A chave é reconhecê-los e admiti-los, aprender com eles e evitar repeti-los."

Paula, de 39 anos, é casada e mãe de dois filhos. Major da reserva do Exército americano, ela serviu no Afeganistão entre julho de 2010 e julho de 2011, quando se aproximou de Petraeus e propôs escrever a história de sua vida. O livro foi redigido em parceria com Vernon Loeb e editado pela The Penguin Press neste ano com o título All In (expressão que representa a aposta mais ousada do jogo de pôquer).

A própria Paula descreveu no programa de televisão The Daily Show que costumava acompanhar Petraeus em seus treinos de corrida no Afeganistão.

"Esse foi o começo do nosso relacionamento", afirmou ela, logo depois de descrever Petraeus como uma pessoa "cheia de energia", que "ama estar na arena". "Eu teria dificuldade de entrevistar alguém correndo", rebateu Stewart. Paula graduou-se na Academia de West Point, como Petraeus, e fez doutorado no Departamento de Estudos sobre Guerra do King's College, em Londres. Atualmente, é pesquisadora na Harvard University e vive com o radiologista Scott Broadwell.

Petraeus apresentou sua renúncia na sexta-feira. O general é casado há 37 anos e admitiu ter adotado um "comportamento inaceitável". / COM NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.