FBI: carta endereçada a Obama não tem relação com atentado em Boston

Carta com substância suspeita havia sido interceptada no setor de triagem de correio da Casa Branca

estadão.com.br,

17 de abril de 2013 | 12h25

(Texto atualizado às 16h25) WASHINGTON - O FBI confirmou que a substância suspeita contida na carta endereçada ao presidente dos EUA, Barack Obama, era o veneno letal ricina, após um teste preliminar. Além disso, a polícia norte-americana negou que o envio da carta tenha relação com o atentado que matou três pessoas em Boston na segunda-feira 15. "Não há indicações de que haja uma ligação com o ataque em Boston", disse a polícia norte-americana, por meio de comunicado.

A carta havia sido interceptada pelo FBI no setor de triagem de correio da Casa Branca na terça-feira, como informou o Serviço Secreto dos EUA nesta quarta-feira, 17. O setor fica em local remoto, afastado da Casa Branca, disse o porta-voz Edwin Donovan em comunicado.

"Este setor rotineiramente identifica cartas ou encomendas que exigem uma segunda triagem ou testes científicos antes da entrega", disse Donovan. A polícia do Capitólio limpou partes do prédio do Senado nesta quarta-feira devido a preocupação com possíveis cartas e pacotes suspeitos.

Substância letal

Na terça-feira, um envelope enviado ao senador republicano Roger Wicker, por Mississipi, continha a substância letal ricina, disse o senador Dick Durbin a repórteres, depois que um grupo de parlamentares foi informado pela polícia federal norte-americana (FBI). A ricina é um veneno encontrado naturalmente em mamonas.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABarack ObamaFBI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.