FBI confirma conversas com americano que foi decapitado

O FBI advertiu o americano Nicholas Berg, antes de seu desaparecimento e morte, que o Iraque era um lugar muito perigoso para cidadãos desprotegidos dos EUA, e Berg recusou uma oferta do Departamento de Estado de uma passagem de volta para casa, dizem autoridades. Berg havia sido detido no dia 24 de março pela polícia iraquiana e liberado no dia 6 de abril. Seu corpo foi encontrado no último sábado, e ontem foi divulgado um vídeo de sua decapitação por supostos agentes da Al-Qaeda.O FBI conversou com Berg em três oportunidades no período em que ele esteve preso pela polícia do Iraque, disse uma alta autoridade do FBI, sob condição de anonimidade. Poucos dias depois de sua libertação, Berg recebeu a oferta de uma passagem para casa, feita pelo serviço diplomático, mas recusou, disse a porta-voz consular Kelly Shannon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.