Safehouse Progressive Alliance for Nonviolence via AP
Safehouse Progressive Alliance for Nonviolence via AP

FBI inicia investigação e contata 2ª acusadora de juiz indicado à Suprema Corte dos EUA 

Contato é parte da investigação sobre o juiz autorizada na sexta-feira pelo presidente Donald Trump, pressionado pelos congressistas da oposição

O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2018 | 21h17

WASHINGTON - O FBI (polícia federal americana) entrou em contato com Deborah Ramirez, a segunda mulher que acusou o juiz Brett Kavanaugh, indicado à Suprema Corte dos EUA, de má conduta sexual quando ele era um estudante da Universidade de Yale.

O contato é parte da investigação do FBI sobre o juiz, autorizada na sexta-feira pelo presidente Donald Trump, pressionado pelos congressistas da oposição. O advogado de Deborah, John Clune, disse que os agentes querem entrevistá-lá e ela concordou em cooperar.

Trump ordenou que o FBI reabra a investigação de antecedentes de Kavanaugh depois que pelo menos três mulheres acusaram Kavanaugh de má conduta sexual. Kavanaugh negou as alegações.

Os líderes do Senado concordaram em adiar a votação final da nomeação de Kavanaugh para permitir uma investigação de uma semana do FBI. A Comissão de Justiça do Senado afirmou que o problema deve ser limitado a "atuais alegações críveis" contra Kavanaugh e a investigação encerrada em 5 de outubro.

Deborah disse que Kavanaugh se expôs a ela em uma festa no início dos anos 80, quando eram estudantes de Yale. / AP  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.