FBI prende 14 hackers suspeitos de invadir PayPal em apoio ao WikiLeaks

Ciberataques foram efetuados depois de contas do site de vazamentos serem bloqueadas

Associated Press

19 de julho de 2011 | 20h39

WASHINGTON - O FBI, a Polícia Federal dos Estado Unidos, anunciou nesta terça-feira, 19, que 14 suspeitos de atacar virtualmente o site PayPal em represália à suspensão das contas de contribuição do WikiLeaks foram presos nos últimos dias. O órgão agregou que mais de 35 ordens de prisão ocorreram em todo o país contra supostos hackers.

 

Veja também:

especialESPECIAL: Por dentro do Wikileaks

 

De acordo com o FBI, ocorreram duas prisão não relacionadas com o caso PayPal. Na Grã-Bretanha, a Scotland Yard prendeu mais uma pessoa e outras quatro foram detidas na Holanda, todas acusadas de delitos virtuais.

 

Os ciberataques contra o PayPal foram efetuados pelo grupo de hackers Anonymous logo após o WikiLeaks, site que vaza documentos secretos, revelar milhares de correspondências diplomáticas confidenciais do Departamento de Estado dos Estados Unidos. O grupo simpatiza com o WikiLeaks.

 

O Anonymous também se disse responsável pela invasão das páginas da Visa e da MasterCard em dezembro, quando as empresas de cartão de crédito deixaram de processar doações ao WikiLeaks e a Julian Assange, o australiano responsável pelo site de vazamentos.

 

Os 14 suspeitos de envolvimento com o caso PayPal enfrentam acusações de uma Corte Federal da Califórnia. Eles foram presos nos Estados de Alabama, Arizona, Califórnia, Colorado, Flórida, Massachusetts, Nevada, Novo México, Ohio e no Distrito de Columbia.

Tudo o que sabemos sobre:
WikiLeaksPayPalHackersFBIEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.