AP Photo/Michael Wyke
AP Photo/Michael Wyke

FBI prende soldado que ensinava a fazer bombas caseiras na internet

Jarrett William Smith, de 24 anos, foi detido depois de oferecer receitas de explosivos a um agente federal disfarçado em contatos por redes sociais.

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2019 | 07h00

WASHINGTON -  O FBI anunciou nesta segunda-feira, 23, a prisão de um soldado do Exército dos Estados Unidos que instruía pessoas na internet a construir bombas caseiras. Jarrett William Smith, de 24 anos, foi detido depois de oferecer receitas de explosivos a um agente federal disfarçado em contatos por redes sociais. O militar queria atacar um comício do pré-candidato democrata à presidência Beto O'Rourke, no Texas.

Smith foi acusado de distribuir informação relacionada a explosivos e armas de destruição em massa. Na denúncia criminal, oficiais do FBI disseram que Smith cedeu receitas para a fabricação de bombas em conversas no Facebook.

“Sim, eu tenho muito conhecimento de bombas caseiras. Podemos fazer bombas caseiras de celular parecidas com as dos afegães. Posso lhe ensinar isso”, escreveu Smith no chat, segundo o FBI.

Agente disfarçado descobriu trama

O FBI foi alertado pelos supostos comentários de Smith no Facebook e usou um informante confidencial como também um agente disfarçado para entrar em discussões online com ele. Com o tempo, Smith supostamente ofereceu fórmulas para a fabricação de bombas para ambos.

Investigadores descobriram que Smith já havia conversado sobre se juntar a um grupo paramilitar de extrema-direita da Ucrânia em 2016, mas acabou se juntando ao Exército americano um ano depois.

Nos grupos em sua rede social, Smith escreveu no mês passado que ele estava procurando mais "radicais" como ele e falou sobre possivelmente matar protestantes da extrema-esquerda conhecidos como "antifa". Ele também cogitou de atacar torres de celular e uma estação de notícias local, ainda de acordo com o FBI.

Na sexta, Smith e o agente disfarçado do FBI começaram a conversar online sobre tipos de bombas que poderiam ser feitas com materiais cotidianos, diz a denúncia. Segundo a investigação, uma dessas receitas de bomba tinha alta probabilidade de funcionar. A outra mencionava apenas o tipo correto de ingrediente necessário para a receita.

Ameaça contra político democrata

Após receber um número de receitas, o agente secreto escreveu para Smith: "Tenho um prefeito liberal do Texas em minha vista! Explodo essa bomba caseira e ele está morto". Smith supostamente respondeu: "Ai está".

O agente secreto perguntou: "Você não tem ninguém no Texas que poderia ser um bom alvo para fogo, destruição e morte?".

Smith, de acordo com a denúncia, respondeu: "Sem ser o Beto [O'Rourke]? Eu não sei pessoas relevantes o suficiente para provocar uma mudança se morressem".

O candidato presidencial pelo Partido Democrata Beto O'Rourke, ex-congressista do Texas, recentemente esteve nas principais notícias por dizer num debate do partido que ele pretendia acabar com a posse particular de rifles AK-47 e AR-15. Não estava claro se a proposta de devolução dessas armas provocou a ira de Smith.Agentes do FBI prenderam Smith no sábado, e oficiais disseram que após a sua prisão, ele reconheceu que estava compartilhando receitas de bombas caseiras com outras pessoas.

Pena pode chegar a 20 anos de prisão

O agente especial do FBI, Brandon LaMar, disse num depoimento que Smith admitiu a ele "que sabia como fazer dispositivos explosivos caseiros, e que em conversas online ele rotineiramente dava instruções de como fazer esses aparelhos".

Smith disse ao FBI que seu objetivo ao divulgar as receitas era "provocar o caos", de acordo com o depoimento. "Ele me disse que se o caos resulta na morte de pessoas, mesmo que com a informação cedida por ele, isso não o afeta", conclui o relatório do investigador.

A acusação pode levar a uma pena máxima de 20 anos de prisão. / W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.