FBI procura comandante que teria organizado terroristas

A novidade mais relevante do décimo dia de investigações sobre o ataque aos EUA é o surgimento de um novo personagem, embora ainda esteja sendo procurado: um estrategista que teria coordenado as diversas células terroristas e financiado, com US$ 200.000, os atentados em Nova York e Washington. Segundo o New York Times, os investigadores federais buscam um homem maduro, de cabelos brancos, que teria se encontrado em várias ocasiões com os autores dos seqüestros. O "comandante" é figura recorrente na fase preparatória dos atentados perpetrados pela organização terrorista Al-Qaeda, que tem como chefe Osama bin Laden.Um coordenador no lugar dos fatos foi mencionado tanto nos atentados de 1998 contra as embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia como nos frustrados atentados por ocasião das celebrações do novo milênio nos EUA. Ao mesmo tempo, o FBI confirmou ter preparado uma lista de suspeitos com 230 nomes e que 80 pessoas estão detidas e sendo interrogadas com relação aos atentados.Segundo fontes da CNN, os dois árabes detidos em um trem entre Nova York e San Antonio, no Texas, poucas horas depois dos atentados terroristas decidiram colaborar e estão revelando elementos preciosos para as investigações. Pelo menos seis dos 19 terroristas atuaram sob identidades falsas, em alguns casos recorrendo a nomes de pilotos de companhias aéreas sauditas. O rastreamento do dinheiro do grupo Al-Qaeda, chefiado por Bin Laden, conduz à Suíça, mas tem ramificações também na Itália, através de associação com Youssef Nada. Nada é um homem de negócios muito conhecido na Itália, tem cidadania italiana e é diretor da Nada Management Organization. Segundo os investigadores norte-americanos, Nada seria o cérebro financeiro da organização de Bin Laden. Para o Washington Times, que cita uma fonte anônima do serviço secreto norte-americano, agentes iraquianos mantiveram contato com Osama bin Laden no Afeganistão dias antes do ataque, o que confirmaria o envolvimento do Iraque nos atentados. Segundo a mesma fonte, o terrorista saudita se disporia a deixar o Afeganistão e ir para a Somália. Por outro lado, há dias se ouve rumores, não confirmados oficialmente, sobre possíveis novos ataques previstos para este sábado. O secretário de Justiça norte-americano, John Ashcroft, disse não ter "nenhuma indicação segura" a respeito de novos ataques. O New York Times revelou que o FBI alertou os serviços de segurança dos estúdios cinematográficos de Hollywood, o prefeito de Boston, Tom Menino, e a governadora de Massachusetts Jane Swift. Por sua vez, a promotora de Karlsruhe, na Alemanha, emitiu duas ordens de prisão internacionais para um alemão de origem marroquina e um iemenita, ambos suspeitos de terem tomado parte nos atentados. Os dois suspeitos estão oficialmente na Alemanha como estudantes, residiam em Hamburgo e estariam filiados ao grupo de Osama bin Laden. Existe também uma pista canadense, e nela estão trabalhando agentes do FBI em Montreal. Estes últimos descobriram que dois seqüestradores do vôo número 11 da American Airlines entraram no Maine, estado no noroeste dos EUA, através do Canadá. Montreal hospeda a mais numerosa comunidade islâmica no Canadá - composta por cerca de 150.000 pessoas, norte-africanas em sua maioria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.